Teatro Santa Isabel - 167 anos

Restauração

Trabalho de restauração: Importância, necessidades, ações e resultados

O Teatro de Santa Isabel monumento arquitetônico tombado em nível nacional pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional – Iphan, possui um grande acervo formado pelos elementos artísticos que compõe o edifício propriamente dito, além dos bens móveis, desta forma se constitui uma referência para estudos não só das artes cênicas como também das artes plásticas, das artes industriais e dos ofícios. Portanto, torna-se indiscutível a necessidade de sua preservação.

Entendemos que o Teatro como bem público deve ser acessível a toda população, neste sentido se torna mais vulnerável ao desgaste, tanto dos bens móveis como dos elementos artísticos, por isso é fundamental o trabalho permanente de restauração, outros aspectos relevantes que justifica esta atividade se refere a localização do Teatro muito próxima ao rio e ao mar, portanto de fácil desgastes dos elementos oxidáveis.

Além dos aspectos já citados vale ressaltar que o período de sua construção data da primeira metade do século XIX, de maneira que o tempo de construção é outro fator favorável ao desgaste, acrescenta-se, ainda, a diversidade de acervo de bens móveis e integrados que revela um valor histórico o que ratifica a necessidade de conservação e manutenção deste patrimônio.

As ações de restauração têm contribuído significativamente para manutenção deste bem público e podem ser sintetizadas assim:

• Conservação preventiva dos bens artísticos móveis e integrados;

• Acompanhamento constante de todas as peças que compõem o seu patrimônio artístico;

• Ações de caráter preventivo realizadas sistematicamente nos espaços e objetos contidos nos mesmos: Terraço de entrada - lustres, Saguão – forro com ornatos, lustre, escultura, mobília; corredor do térreo – espelhos, bustos, placas informativas, mobília, pinturas decorativas, colunas e balaustras em ferro fundido; platéia – mobília, estrutura metálica, lustre central; palco – pinturas do proscênio, boca de cena, painéis, grupos escultóricos, frisas – mobílias, pinturas decorativas, gradis e colunas em ferro fundido com elementos decorativos, salão nobre – mobílias, espelhos, lustres, quadros, pinturas decorativas sob as paredes, forros e cimalhas, camarotes A e B/ torrinha – mobílias, pinturas decorativas, gradis e colunas em ferro fundido com elementos decorativos;

• Ações de caráter preventivo realizadas sistematicamente em todos os elementos arquitetônicos e decorativos;

• Manutenção e intervenção permanente de todos os elementos que compõe o teatro inclusive em portas e janelas.

• Acompanhamento constante das esculturas externas para encaminhamento de ações preventivas e possíveis intervenções.

O trabalho de restauração num monumento histórico como o Teatro de Santa Isabel é imprescindível, pois o mesmo está incluído como patrimônio tombado em nível nacional pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional – Iphan, assim como contribui efetivamente para se manter a memória viva de um povo através de várias gerações.

Esta atividade é possível em função do reconhecimento do poder público que assegura, através de políticas públicas, ações de valorização e democratização dos bens culturais e artísticos de seu povo.

A abertura do teatro para a população significa um ganho cultural, bem como revela a necessidade de um trabalho permanente de restauração e de educação, conscientizando a todos sobre a responsabilidade de cuidar deste patrimônio para que o conserve na sua grandeza histórica e estética.